A existência de inúmeras plataformas como sites, blogs, mídias sociais e aplicativos trouxe novos desafios principalmente para publishers. O que acha de vencer os obstáculos utilizando o Storytelling?

Quantas plataformas de mídia existiam há, mais ou menos, 30 anos?!? Uns cinco canais de televisão, jornais, revistas e emissoras de rádio. As marcas tinham um universo mais restrito para exporem seus produtos e serviços. Por outro lado, os públicos-alvo estavam mais concentrados, o que facilitava os profissionais de planejamento de mídia. Nos anos 80, 70% dos televisores do país chegaram a ficar ligados simultaneamente em novelas da Globo.

A internet chegou, tornou-se popular, e com ela as plataformas de mídia se multiplicaram, trazendo novos desafios para a comunicação. Os profissionais do setor convivem hoje com dezenas de plataformas para divulgar marcas, produtos e serviços. Isso que, em princípio, parece ser benéfico, provoca uma confusão na cabeça dos publishers: como veicular minhas campanhas? Estou fazendo isso corretamente?

A existência dessa inúmeras plataformas como sites, blogs, mídias sociais e aplicativos que vieram somar às antigas mídias provocou dois fenômenos:

1. A dispersão de atenção

2. A fragmentação da audiência


Com afirma Adilson Xavier, na obra Storytelling - Histórias que deixam marcas, o excesso de informação com a qual somos confrontados criou a chamada Economia da Atenção, conceito popularizado em 2001 pelo livro de Thomas Davenport e Michael Goldhaber e previsto pelo economista norte-americano Herbert Simon em 1971.


“O que a informação consome é a atenção dos seus recipientes, ou seja, a riqueza da informação cria uma pobreza de atenção”.
Herbert Simon, economista

O ambiente torna-se ainda mais preocupante quando se envolve na discussão um novo elemento, a “Geração Ad Blocker”, formada em sua maioria por jovens alfabetizados no mundo digital que fogem dos anúncios e propagandas com ajuda da tecnologia.

Como superar os desafios da dispersão de atenção e fragmentação da audiência?

Com tantas opções para você expor a sua marca, produtos e serviços, como superar os desafios impostos pela dispersão de atenção e fragmentação da audiência? Uma das alternativas é o Storytelling, a arte e técnica de contar histórias.

Storytelling engaja e engajamento promove o alcance da sua mensagem. Portanto, ao promover um aumento no alcance da sua mensagem, crescem as chances de você superar a dispersão de atenção e fragmentação da audiência.

O desafio é de superar a dispersão de atenção e fragmentação da audiência contando boas histórias que prendam a atenção, envolvam com emoção, criem laços profundos com os grupos de interesses para que seja apreciada e lembrada.

O Storytelling é, portanto, ferramenta essencial para:

* Vencer a guerra pela atenção do consumidor
* Alinhar conhecimento entre colaboradores e ensinar consumidores sobre os benefícios de produtos
* Gerar conexão entre colaboradores e formar comunidades de fãs da marca


Algumas marcas como a Coca-Cola perceberam isso há algum tempo. Steven j. Heyer, que foi presidente da empresa, criou, por exemplo, a expressão Capital Emocional, que é a união de publicidade com entretenimento.


"Vamos utilizar um conjunto de diversos recursos de entretenimento para entrar nos corações e mentes das pessoas. Nessa ordem... Vamos nos deslocar para ideias que tragam à tona e criem conexões".
Steven j. Heyer, ex-presidente da Coca-Cola

Separamos dois aspectos que o especialista em Neurolinguística, professor de Escrita Criativa e Storytelling, Fernando Santi, aponta como essenciais para se contar uma história encantadora com a sua marca, produto ou serviço:

1.Transformação.
Uma história comum não engaja. É preciso que a narrativa da sua marca, produto ou serviço exponha a transformação de algum protagonista, por exemplo

2.Imersão.
A pessoa precisa se sentir dentro da história. Quando você for utilizar técnicas de Storytelling é preciso utilizar elementos que criem conexões entre a marca, produto ou serviço e o público-alvo

Fernando estudou diretamente com renomados professores internacionais como Marc Victor Hansen, James Patterson e Richard Krevolin, além de Betty Sue Flowers que com Joseph Campbell criou “O Poder do Mito”. É membro do WritersNet USA e Atlanta Writers Club, em Atlanta, Estados Unidos que reúne autores do mundo todo.


Uma história fica mais na memória pois somos feitos de história.
Fernando Santi durante o Afiliados Brasil 2017

Você já utilizou o Storytelling para vender um produto ou serviço? Qual foi o resultado? Conte pra gente.